3 de julho de 2017

Você está na direção certa?

Foto: Fatos Desconhecidos. 
Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro (Isaías 45: 22).

Quase ninguém estava na praia, e o tempo estava chuvoso e frio. Mesmo assim, eu nadei meus 200 m costumeiros no mar. Quando me preparava para retornar, notei que havia uma mulher perto de mim. Ela não parecia muito confiante, mas desejava, claramente, nadar para ainda mais longe. Eu perguntei se tudo estava bem. Ela me disse que estava muito cansada. “Então é melhor você voltar”, a aconselhei. “Não”, ela respondeu, “essa é a direção certa” eu lhe garanti que ela estava errada e que estava se afastando cada vez mais da praia. Mas ela insistiu que estava certa. Eu implorei com insistência para que acreditasse em mim e prometi que ficaria perto dela, caso decidisse retornar. 

Finalmente, ela cedeu e nadou na direção oposta. À medida que a praia se aproximava, suspirou aliviada. Antes de retornar a mulher havia feito seu melhor, mas isso a havia levado na direção errada. Nós precisamos ter certeza! Prontidão, desejo e até mesmo nossos melhores esforços não são suficientes: nós precisamos da direção certa! O Deus da Bíblia nos diz: “Olhai para mim e sereis salvos”. Essa é uma indicação clara de direção e o Senhor Jesus, o Filho de Deus, é o Salvador e Ajudador que nos convida para que confiemos nossa vida a Ele. Ele é digno da nossa confiança: Ele sofreu a morte na cruz por causa do amor que tinha por nós.

Fonte: Boa Semente.

2 de julho de 2017

Empresa pode revistar bolsas de empregado, mas não expor itens íntimos.

Revistar pertences de empregados sem contato físico não caracteriza dano moral, por si só, mas é vexatório e humilhante expor objetos íntimos aos demais colegas. Com esse entendimento, a 1ª e a 7ª Turmas do Tribunal Superior do Trabalho rejeitaram recursos de empresas condenadas a indenizar trabalhadores por revistar bolsas e pertences pessoais. No primeiro processo, um repositor de uma rede de supermercados de Salvador pediu reparação pela conduta da equipe de segurança do estabelecimento, que, na vistoria de bolsas no início da jornada, etiquetava itens pessoais dos empregados também vendidos pela loja, inclusive produtos íntimos. A empresa, em sua defesa, argumentou que o procedimento era feito com moderação e impessoalidade, mas o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (BA) fixou indenização de R$ 5 mil ao funcionário. 
Revista compartilhada: No segundo caso, o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (AL) condenou uma drogaria a indenizar em R$ 30 mil um balconista que tinha de vistoriar as bolsas dos colegas e também era revistado por eles, todos os dias. Para o Regional, essas situações são constrangedoras, uma vez que o conteúdo das sacolas, com itens íntimos do proprietário, era revelado a fiscais e outros empregados. Os relatores dos recursos em cada Turma, ministro Cláudio Brandão e desembargador convocado Marcelo Pertence, reafirmaram a ocorrência de excessos. Relator do processo entre o balconista e a drogaria, o ministro Cláudio Brandão disse que o procedimento era vexatório porque o conteúdo das sacolas era exposto aos demais empregados. “É preciso preservar a dignidade e a intimidade da pessoa humana em detrimento do direito de propriedade e da livre iniciativa da empresa”, concluiu. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST. Processos AIRR-1162-22.2010.5.19.0003 e RR-894-37.2015.5.05.0017

Força na oração.

Max Lucado
Jesus orava! Ele até desapareceria por uma noite inteira em oração. Estou pensando em uma noite em particular. O dia começou com a notícia da morte de João Batista. Profundamente triste, Jesus procurou se retirar com os Seus discípulos, mas passou o dia ensinando e curando as pessoas que O seguiam. Quando se descobriu que a multidão não tinha comida, Jesus multiplicou o pão de um cesto e alimentou toda a multidão. Em poucas horas, Ele lutou contra a tristeza, o estresse, as exigências e as necessidades. Ele merecia descansar. Mas quando a noite chegou, Ele disse para a multidão ir embora e para os discípulos embarcarem em seu barco. Marcos 6:46 nos diz, “E, tendo-os despedido, foi ao monte para orar”. Senhor, ensina-nosa orar assim! A encontrar força na oração. Ensina-nos a experimentar uma conexão de coração com Deus ao invés de nos contentarmos com uma oração de lista de desejos para Deus!

1 de julho de 2017

Ore sobre tudo.

Max Lucado 
No momento em que você perceber um problema, grande ou pequeno, leve-o a Cristo. “Max, se eu levar os meus problemas a Jesus todas as vezes que eu tiver um, vou falar com Jesus o dia inteiro”. Agora você está entendendo! Não orar por um problema é um espinho cravado. Ele fere e infecta o dedo, depois a mão, depois o braço todo. Melhor ir direto até pessoa que tem as pinças. Podemos só imaginar quantos desastres teriam sido evitados se fôssemos primeiro até Jesus? Filipenses 4:6 diz, “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus”. Todo dia por 4 semanas, ore 4 minutos – orações poderosas e simples. Isso mudará a sua vida para sempre!

30 de junho de 2017

Um balde de oração.

Max Lucado
Contemple o poder da oração! Em Apocalipse 8:5, João viu as orações dos santos e disse, “houve trovões, vozes, relâmpagos e um terremoto”! Você pede ajuda para Deus e BUM! Cai fogo na terra. Você eleva as suas preocupações para o céu, e a turbulência acontece. Vá em frente. Levante-se em favor daqueles que você ama. E sim, levante-se em favor daqueles que você não ama. Ore por aqueles que o magoam. O jeito mais rápido de extinguir o fogo da raiva é com um balde de oração. Ao invés de reclamar, esbravejar ou procurar vingança… ore. Jesus o fez. Enquanto estava pendurado na cruz, Ele intercedeu pelos seus inimigos, “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. Até Jesus deixou os Seus inimigos nas mãos de Deus. Antes de você dizer amém – vem o poder de uma simples oração!

29 de junho de 2017

Procurando por uma luz à noite?

Max Lucado
Na noite em que Jesus nasceu, eu me pergunto se José orou: “Pai, isso tudo parece tão estranho. O anjo que o Senhor enviou? Alguma chance do Senhor poder enviar outro?” Você já esteve onde José estava. Cada um de nós sabe o que é procurar por uma luz à noite. Não do lado de fora de um estábulo, mas talvez do lado de fora de uma sala de emergência ou na grama bem cuidada de um cemitério. Já fizemos as nossas perguntas. Já nos perguntamos por que Deus faz o que Ele faz. Se você estiver perguntando o que José perguntou, deixe-me estimulá-lo a fazer o que José fez. Obedeça. Ele não permitiu que a sua confusão interrompesse a sua obediência. E quanto a você? Você tem uma escolha: obedecer ou desobedecer. Porque José obedeceu, Deus o usou para mudar o mundo. Ele pode fazer o mesmo com você? Você será esse tipo de pessoa? Você servirá… mesmo quando você não entender?