Mostrando postagens com marcador Devocionais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Devocionais. Mostrar todas as postagens

23 de junho de 2017

Qual será meu futuro?

Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus (João 3:18). (Lucas 23:33-43)
Imaginemos por um momento essa memorável cena. Três cruzes estão levantadas em uma colina próxima a Jerusalém. À esquerda e à direita estão dois malfeitores; no meio, Alguém sobre quem o governador afirmara: “Não acho culpa alguma neste homem” (Lucas 23:4). Seu nome – Jesus – figura em uma placa acima de Sua cabeça. O anjo havia anunciado a Maria: “Ele salvará o seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). Chegou o momento no qual Ele cumpriria a obra da salvação e suportaria, em lugar de todos aqueles que creriam nEle, a sentença de Deus contra o pecado. Um dos malfeitores se soma à zombaria geral, desprezando o Senhor Jesus, porém o outro reconhece que Jesus não fez nenhum mal, ao contrário deles que estavam ali merecidamente. Este último discerne em Jesus Cristo Àquele que deve reinar, e lhe roga: “Lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino” (v. 42). A maravilhosa promessa “hoje estarás comigo no Paraíso” chega como resposta imediata à sua fé. Essa cena ilustra a condição humana. Ou zombamos de Jesus Cristo, ignorando que a benignidade de Deus nos leva ao arrependimento (Romanos 2:4), ou reconhecemos que Ele é Filho de Deus e sujeitamos nossa vida inteiramente em Suas mãos. “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” (João 3:36). O futuro eterno de cada pessoa depende da atitude de seu coração frente a Jesus, o Filho de Deus, o Alfa e o Ômega, Princípio e Fim, o Criador e Sustentador de todas as coisas.

19 de junho de 2017

Ocupado demais para notar.

Max Lucado
A imaginação é estimulada quando alguém pensa na conversa entre o estalajadeiro e a sua família. Alguém mencionou a chegada do jovem casal na noite anterior? Alguém perguntou sobre a gravidez da garota no jumento? O estalajadeiro e a sua família estavam ocupados demais. O dia chegou. O pão do dia precisava ser feito. As tarefas matinais precisavam ser feitas. Havia muito para fazer para imaginar que o impossível havia acontecido. Deus havia entrado no mundo como um bebê. Enquanto isso a cidade estava muito ativa. Os comerciantes não sabiam que Deus havia visitado o seu planeta. O estalajadeiro nunca teria acreditado que havia acabado de mandar Deus para o frio. Aqueles que perderam a Sua Majestosa chegada – perderam-na não por causa de maus atos ou de maldade; não, eles a perderam simplesmente porque não estavam olhando. Não foi muita coisa que mudou nos últimos dois mil anos, não é?

17 de junho de 2017

Uma oração de confissão.

Max Lucado
A confissão não é uma punição pelo pecado; é um isolamento do pecado para que ele possa ser exposto e extraído. Exatamente pelo que você precisa ser perdoado? Por ser uma pessoa má? Isso é muito genérico. Por perder a sua paciência na reunião de negócios e chamar o seu colega de trabalho de detestável? Sim, você pode confessar isso. Seja firme em uma oração de confissão. Satanás trafica na culpa e não desistirá de um viciado sem lutar. Exercite a sua autoridade como filho de Deus. Censure a culpa. “Eu o deixei na cruz, espírito mau. Fique lá!” Então, pelo amor de Deus, pare de se atormentar. Jesus é forte o suficiente para carregar o seu pecado. Salmos 103:12 diz, “Quanto o Oriente está longe do Ocidente, assim ele afasta de nós os nossos pecados”. Antes de você dizer amém – vem o poder de uma simples oração.

16 de junho de 2017

Um deleite sagrado.

A Escritura diz, “Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos” (2 Coríntios 8:9). Nenhum homem teve mais razões para ser miserável do que Jesus – mesmo assim nenhum foi mais alegre. Ele foi ridicularizado. Aqueles que não O ridicularizaram, queriam favores. Ele foi acusado de um crime que nunca cometeu. Testemunhas foram contratadas para mentir. Eles o crucificaram. Ele saiu como chegou – sem um tostão. Ele devia ter sido miserável e amargurado. Mas Ele não o era. Ele era alegre! Ele possuía uma alegria que O possuía. Eu chamo de deleite sagrado. Sagrado porque não é da terra, deleite porque ele é exatamente isso: a alegria de Deus. E ele está ao alcance – na pessoa de Jesus. Ele o oferece a você, meu amigo… um deleite sagrado!

15 de junho de 2017

Entregue a sua culpa para Deus.

Foto: Quero Evoluir. 
Max Lucado
A culpa está fazendo o que quer com você? Se estiver, aqui está uma promessa de Isaías 1:18: “Embora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve”. Deus pode fazer o que ninguém mais pode. Ele pode extrair até a última marca da sua alma. Entregue a sua culpa para Deus. Ore simplesmente, “Pai, o Senhor é bom. Preciso de ajuda. Perdoe-me…” Conte a Jesus o que você fez. Faça isso quantas vezes forem necessárias. Uma, duas, dez vezes ao dia? Sem dúvida! Não esconda nada. Nenhum pecado é antigo ou recente demais, ruim ou insignificante demais. Antes do amém – vem o poder de uma simples oração. Comprometa-se todo dia por 4 semanas a orar 4 minutos. Então se prepare para conectar-se com Deus como nunca antes!

14 de junho de 2017

Um coração cheio de esperança.

Max Lucado
Você e eu vivemos em um mundo cheio de lixo. Lixo indesejado vem em nossa direção regularmente. Você não tem recebido um saco de lixo percalços e tristezas? Claro que tem. Posso perguntar, o que você fará com ele? Você poderia escondê-lo. Fingir que ele não está lá. Mas mais cedo ou mais tarde ele começará a cheirar mal. Então o que você fará? Se você seguir o exemplo de Cristo, aprenderá a ver os momentos difíceis de uma maneira diferente. Deus quer que você tenha um coração cheio de esperança… assim como Jesus. Você não gostaria disso? Jesus via a presença do Seu Pai no problema. Claro, Max, mas Jesus era Deus. Eu não posso ver do jeito que Ele via. Talvez ainda não, mas não subestime o poder de Deus. Ele pode mudar a maneira como você vê a vida.

13 de junho de 2017

O Deus bem-aventurado.

O bem-aventurado e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores… Deus bem-aventurado habita na luz inacessível (1 Timóteo 6:15-16; 1:11).
Onde encontrar a felicidade? A Bíblia responde de maneira radical: em Deus! Acima de nós, além de nossas alegrias e tristezas, além do bem e do mal que está por todas as partes, há uma felicidade absoluta e inalterável. Essa felicidade está na presença de Deus. Deus é chamado de “bem-aventurado”, isto é, muito feliz, pois a felicidade está em Sua própria natureza. Uma felicidade infinita preenche Seu ser, a qual Ele quer compartilhar conosco. Os crentes que viveram antes de Cristo conheceram a Deus como o Todo-poderoso, ou seja, Aquele que atuava acima das leis da natureza, ou como Jeová, que deseja salvar os homens e fazer deles Seu povo. Ele Se deu a conhecer como “o Santo”, o que não conhece o mal, perfeito em tudo. Contudo, a profundidade de Suas palavras e do que Deus é nos foi revelada em Seu Filho. Jesus Cristo veio ao mundo para nos mostrar o esplendor de Seu ser: Ele é luz e amor. Em relação à luz, Ele resplandece na verdade e na graça; quanto ao amor, deu Seu Filho por nossos pecados. Sobre essa base de amor e de santidade, Deus fundamenta na eternidade a felicidade de todos os Seus filhos, que já a desfrutam agora mesmo em Seu Espírito. Nada no mundo pode nos oferecer uma felicidade que traz satisfação plena. Deus formou o homem para Ele mesmo e lhe deu um coração tão profundo que somente Deus pode encher. E essa plenitude está disponível para nós em Jesus Cristo!
Fonte: Boa Semente. 

12 de junho de 2017

Nosso destino cada vez mais próximo.

Que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece. Conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé (Tiago 4:14; Romanos 13:11).
Cada frase termina com um ponto final. O conteúdo da frase é com isso estabelecido. Outro tipo de “ponto final” vem com a data de hoje. Quando este dia se aproximar do fim, em apenas um momento nós entramos em um novo ano. A Bíblia nos diz que Deus “dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas” (Atos 17:25). Não é o tempo uma das mais valiosas dádivas que Ele nos deu? A maioria do que perdemos ou negligenciamos pode resultar em bem. Mas uma única hora desperdiçada é perdida para sempre, sem falar de um ano desperdiçado, ou uma vida desperdiçada, a qual temos apenas uma vez. Este ano com certeza trouxe, para muitas pessoas pelo menos, alguma alegria, mas, possivelmente, algumas decepções também. Mas qual foi a coisa mais importante? Foi a nossa saúde, a nossa família, ou o nosso progresso profissional? Estas são importantes esferas da vida, mas, o mais importante é como está o nosso relacionamento com Deus e Seu Filho, Jesus Cristo. Esse assunto afeta a eternidade, a qual vem depois que o “ponto final” tiver sido colocado aqui na terra. “Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação” (2 Coríntios 6:2). Colocar a nossa fé no sacrifício expiatório de Cristo no Calvário para a salvação é uma questão para o presente, e não para depois. Quem quer que tenha feito isso pode prosseguir no conhecimento de que o nosso destino, a glória de Deus, está ficando cada vez mais perto.
Fonte: Boa Semente. 

8 de junho de 2017

Conhecer a si mesmo.

Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de como era (Tiago 1:23-24).
Temos de admitir que não conseguimos reconhecer nosso perfil real, com suas qualidades e imperfeições. Não temos uma imagem clara de quem de fato somos. Se você quer se conhecer, pergunte a Deus, Aquele que não julga segundo a aparência, mas vê o coração (1 Samuel 16:7). Em nosso “coração”, ou seja, o centro de nossa vida interior, está o segredo de nossa relação com Deus, “porque esquadrinha o SENHOR todos os corações e entende todas as imaginações dos pensamentos” (1 Crônicas 28:9). “Os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras provam os filhos dos homens” (Salmo 11:4). E o que há nestes? Vaidade, egoísmo, inveja, mentira, e tantas outras coisas. E “Deus há de trazer a juízo toda obra e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau” (Eclesiastes 12:14). Como escapar de Seu juízo? Deus, que é luz e em quem não há trevas alguma, se encarregou da purificação de nosso coração enviando Seu Filho Jesus Cristo para que morresse na cruz e, dessa forma, levasse nossos pecados. “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7). Então Deus já não nos vê em nossos pecados, mas em Cristo, purificados, sem pecado. Deus lança para trás das Suas costas todos os pecados dos que nEle creem. E não se lembrará deles, pois os desfez como uma nuvem (Isaías 38:17; 43:25; 44:22).
Fonte: Boa Semente. 

7 de junho de 2017

Não tenham medo.

Não tenhais medo; pois eu sei que buscai a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como tinha dito.  Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças (Mateus 28:5-6; Filipenses 4:6).
O Senhor Jesus sempre dizia aos Seus discípulos: “Não temais”. Eles tiveram medo quando o Senhor se aproximou andando sobre o mar, porque não O reconheceram (Mateus 14:27). Não estavam seguros de que aquela aparição realmente era o Senhor. Também tiveram medo quando Ele foi preso; e ao ver que ressuscitara, se assustaram ainda mais (Lucas 24:37). No entanto, que paz sentiram quando o Senhor Jesus falou com eles! Do que não devemos ter medo? Em primeiro lugar, da verdade sobre nós mesmos. Quando Pedro tomou consciência desta verdade disse a Jesus: “Senhor, ausenta-te de mim, porque sou um homem pecador… E disse Jesus a Simão: Não temas.” (Lucas 5:8-10). Tomar consciência de nossa natureza doentia só pode nos horrorizar diante da absoluta santidade de Deus. Porém, o Deus santo também é um Deus de amor que perdoa e apaga as faltas do que se aproxima dEle pela fé. Tampouco temamos o homem, nem o futuro, mas confiemos cada vez mais no Senhor. “E, assim, com confiança, ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem” (Hebreus 13:6). A única pessoa que devemos temer é Deus (1 Pedro 2:17). Não se trata de ter medo de Deus, mas de ter temor, reverência, respeito, consciência de Sua presença. O temor de Deus, que anda de mãos dadas com a confiança nEle, é a única solução verdadeira contra todo tipo de medo que possa nos oprimir.
Fonte: Boa Semente. 

6 de junho de 2017

Forte ou fraco?

A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo… Porque, quando estou fraco, então, sou forte. Porque, se alguém cuida ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo (2 Coríntios 12:9-10; Gálatas 6:3).
A vida humana é um caminho da fraqueza à fraqueza. O recém-nascido depende de sua mãe para se alimentar, para se desenvolver… o idoso também depende do cuidado alheio. E em qualquer idade, será que estamos imunes ao cansaço, às enfermidades ou a acidentes? Crer que somos fortes e poderosos é depreciar uma parte de nossa natureza. Ser humano é aceitar a força e a fragilidade. Também é aceitar e amar os demais, tal como são, fracos ou fortes. Os crentes não estão isentos do cansaço, do fracasso, do sofrimento… Parece uma constatação pessimista? Não, pois aquele que é consciente disso e confia em Deus descobre que sua fraqueza não é um obstáculo para servir a Ele, mas, ao contrário, é o motivo de nos aproximarmos dEle. O apóstolo Paulo escreveu: “Quando estou fraco, então, sou forte”. O sentimento de que não temos nenhum recurso em nós mesmos oferece a Deus a possibilidade de desenvolver os recursos dEle nos Seus filhos por meio do Seu Espírito Santo. Muitos crentes percebem que Deus os usou quando estavam sem nada, enfermos, incapacitados, idosos… Nestas situações difíceis, eles esperaram verdadeiramente em Deus. Oraram e Ele os escutou. O sentimento de impotência foi uma chave para abrir os corações ao amor de Deus.
Fonte: Boa Semente. 

5 de junho de 2017

Um livro diferente dos demais.

Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás (Josué 1:8).
Para muitos a Bíblia é considerada um livro qualquer, e quando seu valor é reconhecido, no melhor dos casos, ela é classificada no mesmo nível que obras humanas de literatura e filosofia. Contudo, na Bíblia há múltiplas declarações especiais desde suas primeiras linhas. Ela enumera com autoridade, e exatidão as ações criadoras do Deus único, soberano, infinitamente poderoso e maravilhosamente grande. Sim, é um livro especial e muito mais que isso: é único porque mostra o que está no coração do homem. E existe algo na Bíblia que não existe em nenhum outro livro: a história inigualável do Deus que criou tudo, e que um dia desceu ao mundo na pessoa de Jesus Cristo para manifestar Seu amor de forma extraordinária. “Jesus andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (Atos 10:38). Os que O escutavam “se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca” (Lucas 4:22). Por que fez tudo isso? Por nos amar profunda e eternamente. Sem Sua morte não teríamos acesso ao Pai, à presença de Deus, porque ainda estaríamos mortos em nossos delitos e pecados (Efésios 2:1). Não diga que a Bíblia é um livro qualquer, nem mesmo um livro especial. Atreva-se a ler, ouvir e experimentar o que Deus reservou para aqueles que O amam (1 Coríntios 2:9).
Fonte: Boa Semente. 

4 de junho de 2017

A linguagem da natureza.

Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis (Salmo 19:1; Romanos 1:20).
De umas décadas para cá, o clamor para salvar a natureza tem aumentado. Quanto a temos destruído no último século! Contudo, quantas pessoas são sensíveis à linguagem da natureza? É uma linguagem sem palavras dirigida a todos os homens de todas as culturas. Quem nunca se impressionou com um pôr do sol, uma árvore em flor ou o bramido das ondas? Quantos convites para buscar o Autor de todas essas belezas, de todo esse poder! E sem falar da beleza da natureza, o simples fato da criação existir já não é um motivo mais que suficiente para nos maravilharmos? Se os cientistas podem fazer cálculos com precisão incrível, isso prova que o mundo não está dirigido pelo acaso, mas que há uma ordem interna, invisível que governa tudo. O fato de que o mundo pode ser decifrado não é uma prova da existência de uma inteligência suprema? Muita gente não passa deste ponto. Elas nunca buscam conhecer o Autor do universo. A Bíblia nos diz quem é Deus, uma Pessoa que se revelou de diversas formas. Ele não é uma força, uma energia ou algo assim. Ele é o Criador que veio visitar Sua criatura. O Filho de Deus se aproximou de nós e Se humilhou a tal ponto de tomar nossa condição humana, indo além: Ele deu Sua vida para nos reconciliar com Seu Deus e Pai. Vemos as obras desse Deus todos os dias, de todas as maneiras. Por isso, somos indesculpáveis, nem podemos ousar dizer que Deus não existe!
Fonte: Boa Semente. 

2 de junho de 2017

O que o impede de crer?

O deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei (2 Coríntios 4:4; Mateus 11:28).
Hugh Ross, um conferencista cristão, acabara de falar a uns quarenta professores universitários. Um deles lhe falou:
– Não posso negar a veracidade de sua mensagem. – Então você pode entregar sua vida a Jesus Cristo – respondeu Hugh Ross. – Sim, até poderia pensar nisso, mas não estou pronto.
Para não se submeter ao Senhor Jesus, muitas pessoas criam uma série de argumentos intelectuais ou evocam lembranças de feridas emocionais feitas pelos que se dizem cristãos. A Bíblia chama isso de fortalezas (2 Coríntios 10:4), que consistem de barreiras mentais muito sólidas que derivam de uma vontade oposta a Deus, enraizada em traumas ou no orgulho humano. Não vamos ao Senhor por motivos intelectuais, nem em função de nossas circunstâncias ou comportamentos de outros, mas pela graça que nos é dada pelo Espírito Santo de reconhecermos nossas necessidades mais profundas e nossa natureza incurável, ou seja, enxergarmos o mal que cometemos e o mal que habita em nós. O amor de Jesus nos introduz em Seu reino, onde há amor, descanso, paz e coisas que a imaginação humana jamais pode alcançar (1 Coríntios 2:9). Que fortalezas mentais se levantam contra o conhecimento de Deus em sua vida (2 Coríntios 10:5); ou, em outras palavras, o que o impede de crer e de se submeter totalmente ao Senhor Jesus?
Fonte: Boa Semente. 

1 de junho de 2017

Quantos sofrimentos e fracassos.

Semeais muito e recolheis pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vesti-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário recebe salário num saquitel furado. Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá (Ageu 1:6; Isaías 55:3).
Muitas pessoas sofrem distintos males e buscam alívio a todo custo. Pedem ajuda para sua família, conselhos para os amigos, consultam psicólogos, fogem da realidade mergulhando no trabalho, entretenimento e até mesmo na religião. Mas isso não serve para nada. Há mais de 2500 anos, o profeta Ageu descreveu esta situação com as palavras de cima. Isso significa que estamos nos ocupando totalmente com nossas próprias coisas terrenas, querendo fazer a vontade de nossa carne e de nossa alma. Tais palavras continuam sendo atuais. Talvez seu casamento esteja se desintegrando, sua vida está um caos, todos lhe desprezam… você que já perdeu a esperança, escute! Para ver uma mudança positiva e duradoura em nossa vida, primeiro temos de reconhecer que temos deixado Deus de lado! Podemos até escutar Sua Palavra, mas não a obedecemos, porque estamos buscando nossos próprios interesses. Então temos de nos arrepender e aceitar a mão que Deus nos estende através de Seu Filho Jesus Cristo, que veio para nos oferecer o perdão divino e um sólido fundamento para nossas vidas. Uma vida na qual Deus não é a prioridade ou não tem lugar está condenada ao fracasso. Arrependa-se! Submeta-se ao Senhor Jesus e sua esperança renascerá! Isso vale para o incrédulo, que precisa dEle como Salvador e também para o crente, que precisa dar-Lhe o lugar de Senhor.
Fonte: Boa Semente. 

31 de maio de 2017

Aproxime-se de Deus.

Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Com amor eterno te amei; também com amável benignidade te atraí. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós (Jeremias 31:3; Efésios 2:13; Tiago 4:8).
Ao vermos a beleza da natureza, uma pessoa automaticamente pensará em um Ser que está por trás de todas as coisas; enquanto outra pensará que se trata simplesmente de coincidências surpreendentes. A Bíblia declara: “É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). É como um exame de sinceridade. O que se aproxima de Deus deve manifestar confiança, não somente para aceitar a existência de Deus, tão evidente, mas também para reconhecer Sua bondade e crer que será aceito. “Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade” (Salmo 145:18). Aproximar-se de Deus, invocá-Lo “em verdade” é admitir que Ele é nosso Criador e que nós somos Suas criaturas. Significa que tem direitos sobre nossa vida, que tem uma vontade determinada para nós. Está ao nosso alcance buscar esta vontade, pois Deus deseja Se dar a conhecer a todos por meio de Jesus Cristo. Todos sabemos algumas coisas sobre a vida de Jesus, porém, para chegar a nos render ao Seu senhorio é necessário ir além desse simples conhecimento intelectual: temos de aceitar pela fé Sua obra, Sua cruz, Seu perdão e Seu governo sobre nós.
Fonte: Boa Semente. 

30 de maio de 2017

Um novo começo.

“O Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo” (Romanos 15:13)
O primeiro dia do ano será como todos os outros. Terá 24 horas, trará um sem número de preocupações e alegrias, trará algum sucesso e terminará implacavelmente, sem que seja possível detê-lo e voltar atrás. Contudo, quantos pensamentos passam por nossa cabeça! Não se pode começar um ano sem se perguntar o que ele nos reserva. O futuro é desconhecido; e o desconhecido nos causa medo. Não há nada mais insuportável que a sensação de insegurança, quando nos sentimos a mercê de um acontecimento desagradável, de um revés, uma enfermidade, de um fracasso ou acidente. O devocional que você está lendo não tem nada a ver com horóscopo. Não lhe dirá o que vai acontecer este ano. Ao contrário, nosso propósito é fazer com que você descubra a cada dia a mensagem de esperança contida na Bíblia. Como muitas outras pessoas, talvez você hoje tenha se enchido de boas intenções. A Bíblia propõe um novo ponto de partida para os que se dispõem a escutá-la. Não são mais as boas intenções. É a opção de alguém que reconhece sua própria incapacidade de escolher o bem, renunciar ao mal e sair de qualquer situação por si mesmo, entregando-se a Deus sem restrições. É confiar no amor e na onipotência de nosso Criador, que pode e quer nos fazer felizes agora e para sempre, independente das circunstâncias.
Fonte: Boa Semente. 

27 de maio de 2017

É injusto!

Não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção acostumada; para que, porventura, de farto te não negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecendo, venha a furtar e lance mão do nome de Deus [Provérbios 30:8-9].
Poderíamos nos indignar, como as crianças sempre fazem, diante da injustiça que devasta a humanidade e que traz sofrimento a todos. Às vezes alguns se atrevem a perguntar: É culpa do homem ou de Deus? Ao afirmar que a culpa é de Deus, queremos nos desfazer de toda a responsabilidade; mas se respondermos que o homem é o culpado, admitimos que somos injustos. A Bíblia nos diz de uma forma taxativa: “Não há um justo, nem um sequer” (Romanos 3:10). Deus criou o homem livre, e não como um robô, porém, o homem utilizou tal liberdade para fazer o que quis e rejeitou totalmente a autoridade de Deus. Como resultado disso, ele está separado de Seu Criador; debaixo da escravidão do pai da mentira – Satanás, e em oposição total a todo desejo pelo bem e pela justiça. Daí se origina a incapacidade para administrar nossa vida. Isto gera injustiça, da qual nos tornamos, ao mesmo tempo, testemunhas horrorizadas e agentes perpetradores. A Bíblia não se contenta somente com essa trágica constatação, mas nos apresenta o único meio para sermos libertos: a pessoa de Jesus Cristo. Ele é Deus feito homem, que viveu de maneira totalmente justa e morreu em nosso lugar. Veio para sofrer o castigo que nós merecíamos. Agora nos oferece Sua própria justiça, Seu próprio Espírito e Sua própria vida!
Fonte: Boa Semente. 

26 de maio de 2017

Você livre da culpa.

Max Lucado
Se você está em Cristo, o seu pecado já se foi. Ele foi visto pela última vez nas costas do seu Carregador de Pecado enquanto Ele se dirigia para o Vale da Morte. Quando Jesus gritou na cruz, “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?” – Ele entrou no deserto por você. Ele levou embora o seu pecado. Abra-se para a ideia de você livre de culpa. Isto pode ser difícil. Você tem arrastado o seu passado por tanto tempo que não consegue se imaginar sem ele. Jesus vê uma revisão do seu roteiro. Entregue a Deus a sua culpa! Ore esta simples “oração de bolso”. “Pai, o Senhor é bom. Preciso de ajuda. Perdoe-me”. Coloque a sua culpa nas costas do seu Carregador de Pecado! Antes do amém – vem o poder de uma simples oração! O meu desafio para você? Todo dia por 4 semanas, ore 4 minutos – uma oração simples. Isso mudará a sua vida para sempre!

4 de julho de 2016

Arrependimento e fé.

Foto: Cultura Mix
Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende (Lucas 15:7). Arrependimento para com Deus e fé no Senhor Jesus Cristo é o caminho da salvação para a humanidade (veja Atos 20:21). No evangelho de Lucas, encontramos um exemplo impressionante disso em um dos criminosos na cruz. Dois ladrões foram crucificados ao lado do Senhor Jesus. Ambos tinham cometido crimes, foram presos e condenados à morte pela mais cruel execução que existia na época. Nesta situação, ouvimos ambos zombando. Eles, blasfemando, desafiavam o Homem pendurado entre eles (veja Mateus 27:44).
No entanto, de repente, acontece uma mudança em um deles. Ele corretamente censura seu cúmplice: “Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?” (Lucas 23:40). O temor de Deus era o que lhes faltava até então. Isso foi o que os levou a se perderem. Então, não deveria o temor de nosso santo Deus leva-los a se arrepender, agora que eles enfrentavam a morte? A mudança de um deles é evidente no modo como ele fala em seguida: “E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam”. Ele admite que eles mereciam o castigo, mas reconhece a inocência do Homem no centro. Ele está tão convencido que exclama: “Este nenhum mal fez” (veja Lucas 23:39-41). Ele certamente observou como o Senhor Jesus se comportou quando foi crucificado e como Ele orou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:34).
Fonte: Boa Semente.