15 de julho de 2017

Meditações sobre o livro de Neemias (Leia Neemias 6:15-19; 7).

Os estranhos descairão, e terão medo nos seus esconderijos [Salmo 18.45].

Cinquenta e dois dias foram suficientes para que os homens de Judá cobrissem todas as brechas e reconstruíssem o muro. A maioria deles era inexperiente e não sabia manusear as ferramentas de pedreiro. Mas eles tinham zelo e um coração disposto para a obra (3:20; 4:6). Aos olhos do Senhor, a devoção vale mais que a capacidade de Seus obreiros. De fato, Ele mesmo concede capacidade àqueles que são devotados e esperam nEle. Os esforços de Tobias para atemorizar Neemias, e o apoio que esse homem mau recebeu da parte de alguns nobres de Judá são os últimos sinais da hostilidade do inimigo. Dali em diante, Jerusalém com seu muro reerguido parecia “construída como cidade compacta” às nações que a cercavam (Salmo 122:3). Mas ainda era necessário vigiá-la. Neemias cuida especialmente dos portões e designa guardas para eles (Isaías 62:6- 7). Outras tarefas são especificadas, incluindo as dos dois governadores da cidade (vv. 1-2). Dois homens haviam recebido tal responsabilidade: Hanani, por sua preocupação com o povo (1:2), e Hananias, por sua fidelidade e temor de Deus (v. 2).

Fonte: Boa Semente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário