14 de julho de 2017

A decisão correta.

Convertei-vos, pois, àquele contra quem os filhos de Israel se rebelaram tao profundamente. Eis-nos aqui, vimos a ti; porque tu és o Senhor, nosso Deus... pecamos contra o Senhor... não demos ouvidos [Isaías 31:6; Jeremias 3:22,25].


O Deus de amor me falou, e hoje Seu amor faz outro apelo a mim. Minha consciência me acusa: como posso responder pelo meu passado? Por que eu cedo ao mau quando desejo fazer o que é bom? Deus me convida para voltar para Ele. Qual será minha resposta? Eu sei muito bem que preciso mudar minha direção, isto é, me arrepender e me converter. A conversão exige uma decisão moral; envolve todo o meu ser: minha vontade, minha razão e meus sentimentos. Ela também implica, de agora em diante, uma forma diferente de vida. Mas apesar dos apelos divinos, e das necessidades de sua consciência o homem resiste porque sua vontade, sistematicamente, se rebela contra a vontade de Deus. O fato de que somos inimigos de Deus, e não queremos nada com Ele, e que somos dominados pela descrença é duro de aceitar, mas importante de ser entendido. É necessário toda misericórdia de Deus para nos fazer permanecer parados através de circunstâncias importantes; é necessário toda energia do Espírito Santo e todo o poder da Palavra de Deus para nos forçar a capitular diante de Deus. Esse passo é chamado de conversão. A alma quebrantada retorna para Deus, como a um Pai, por meio do Senhor Jesus. Não existem duas conversões iguais. Você poderia dar um testemunho da sua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário