19 de abril de 2017

Resenha: Qual a postura ideal do professor?


            O presente texto é uma análise da palestra do professor Mário Sérgio Cortella concedido na PUC de São Paulo. Inicialmente, o professor argumenta que uma das principais características do professor bem sucedido é estar insatisfeito com a sua metodologia. Ao estar insatisfeito com sua metodologia o professor acaba buscando outros meios para transmitir de um modo melhor seus conteúdos.
            Neste sentido, Cortella cita o exemplo de Paulo Freire que mesmo exilado por quinze anos, não parou de estudar. Por isso, detém cerca de quarenta e um doutorados honoris causa. Cortella afirma: “gente grande de verdade sabe que é pequena e por isso cresce. Gente muito pequena acha que já é grande e o único modo dela crescer é baixando outra pessoa”.
            Deve-se ter uma disposição em se conhecer, porque para ser grande, deve-se conhecer-se pequeno. O docente também precisa estar em constante busca pelo novo, no entanto, deve preservar o que é tradicional. Pontuando-se que tradicional é bem diferente de arcaico. Tradição é aquilo que vem do passado e precisar ser preservado e levado à diante; já o arcaico é aquilo que é ultrapassado e deve ficar no passado e deve-se descartar.
            Um bom exemplo do que é tradicional no ensino e deve-se ser preservado e levado à diante é: a) a atenção ao conteúdo; b) a formação humanista; c) o relacionamento saudável na convivência; d) a recusa ao egoísmo; e) noção de acolhimento; f) desejo de formar pessoas. No entanto, o autoritarismo de algumas medidas e a utilização de alguns conteúdos e metodologias deve ser deixado de lado, porque é arcaico.
            Dessa maneira, o professor não pode descansar e se dá por satisfeito com suas metodologias e práticas pedagógicas. Isso porque a satisfação é perigosa e pode fazer com que o docente não busque novas práticas, novos conteúdos contemporâneos. O professor não pode ser tornar um “velho”, ou seja, se fechar para o novo e acomodar-se com o que até então possui. O docente não deve se contentar com as coisas nos moldes que já fez. Mesmo que, inicialmente, não dê certo sua metodologia deve persistir em adequar o conteúdo ao nível dos alunos porque não há fracasso no erro, há fracasso na desistência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário