9 de julho de 2015

Cuidado com a hostilidade.

Para quase todos nós, os sentimentos de hostilidade vêm e vão como as nuvens no céu. É fácil pensar na frustração como algo que nos "acontece", sobre o qual não temos muito controle. À medida que compreendemos nossas reações, começamos a ver como contribuímos para provocá-las. Quanto mais criativa e construtiva for a maneira de lidar com nossa raiva, menor a probabilidade de nossos sentimentos hostis nos levarem a uma situação a uma situação de confronto, pois estes parecem levar somente a mais confrontos. 

A ironia é que costumamos ficar mais zangados com as pessoas que amamos, as de nossa família, do que com conhecidos, amigos ou estranhos. Por isso é tão importante cuidar desses sentimentos na hora em que surgem, antes que tomem proporções maiores. É muito mais fácil resolver um mero aborrecimento do que uma crise de raiva.

ÂNGELO, Helton. Tudo por minha família proteja o seu maior patrimônio. p. 34-35. Curitiba: A.D. Santos, 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário