1 de abril de 2015

Para quem tem dificuldade de perdoar.

Rosa Almada

Neste momento, em particular, estou tomado pelo ressentimento e pelo rancor. Isso me faz mal. Envenena meu sangue. Oprime meu coração. O ódio faz mais mal a mim do que a meu adversário. Não tenho poder para prejudicá-lo, e ainda que o tivesse, provavelmente não o usaria. No entanto, não consigo perdoá-lo - e a intensidade do mal que ele me provocou me fere como a picada de mil marimbondos. 

Ao odiar quem me magoou, permito que essa pessoa ocupe espaço demais em meu pensamento, dou a ela o poder de mobilizar ferozmente meus sentimentos. Assim, de maneira indireta, ela me domina. Só o perdão seria capaz de me livrar do poder que atribuo a me adversário. Perdoar não é deixar de tomar cuidado e proteger-se. Não significa baixar a guarda nem dar condições para que o outro volte a me prejudicar.

Perdoar é tentar entender o que levou aquela pessoa a me fazer mal. Perdoar é tirar dela o poder de envenenar meu sangue, de estragar meus dias, de sugar meu pensamento. Para que eu possa voltar a conquistar minha alegria e ver o mundo com leveza. Para abrir espaço em meu coração para o amor. Como é difícil, Senhor! E é justamente por reconhecer o enorme esforço que preciso fazer que recorro ao Seu imenso e sempre compassivo apoio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário