25 de fevereiro de 2015

Milagre.

Hoje li o opúsculo "Milagre" de Rudolf Bultmann. Muito bom. O autor explica a noção cristã e a noção do homem moderno sobre milagre, utilizando-se de duas palavras em alemão "wunder" e "mirakel". Para Bultmann, mirakel diz respeito à ação mitologizada, objetificada, racionalizada, uma maneira de julgar pertencente a uma visão antiga do mundo. Neste sentido, o milagre é concebido como uma violação das leis da natureza e, por isso mesmo, algo fora da sociedade. Wunder, por sua vez, refere-se à autêntica ação de Deus, um evento que parece, objetiva e universalmente, ser consistente com o conhecimento das leis da natureza. É ao mesmo tempo, um ato de Deus perceptível pela fé e em plena harmonia com a nossa experiência histórica. A perspectiva de Bultmann acerca do milagre, conforme revela o vocábulo wunder preferido pelo teólogo alemão, visa alcançar a fé genuína em Deus e não uma realização por meio do esforço humano. Na verdade, para ele, no final das contas, "fé em Deus e no wunder são, essencialmente, a mesma coisa".

Nenhum comentário:

Postar um comentário