25 de agosto de 2014

Amor, Poder e Justiça - Paul Tillich.

As conferências do Professor Paul Tillich que compõem Amor, Poder e Justiça: Análises Ontológicas e Aplicações Éticas foram proferidas no período imediatamente posterior ao fim da II Guerra Mundial e em meio ao impacto dos escritos do Existencialismo europeu, resultado, em parte, da angústia e do desespero que marcaram a atitude média dos intelectuais das décadas que abrangem as duas Grandes Guerras Mundiais. É evidente que reverberavam no teólogo os ecos da filosofia de existencialistas cristãos renitentes, como Karl Jaspers, de existencialistas cristãos titubeantes, como Gabriel MarceL e existencialistas ateus declarados, como Jean Paul Sartre, ou não-declarados. Como Martim Heidegger.
Aliás, a obra existencialista fundamental de Sartre, O Ser e o Nada, publicada em 1943, cuja estrutura lembra em muito o esquema das palestras de Paul Tillich que resultaram neste livro, certamente impactaram o teólogo alemão e esta repercutida no presente trabalho, ainda que guardando as suas próprias idiossincrasias, notadamente a escolha dos conceitos cristãos da justiça, do amor e do poder como eixos de sua abordagem. A começar pela opção metodológica claramente manifestada na tentativa de dar uma interpretação ontológica para os significados dos conceitos cristãos de amor, de justiça e de poder, bem como de suas mútuas relações. Enfim, o que eu quero apontar acima de tudo, para além de uma frágil classificação destes pensadores e que certamente deve suscitar discordâncias, é que o zeilgeist da metade do século XX as preocupações comuns que incomodaram aqueles que lidaram com a náusea de existir, estão presentes no âmago pensamento de Paul Tillich nestes estudos

Nenhum comentário:

Postar um comentário