1 de abril de 2012

Como me tornei um matador sádico


Pra começar, todo matador diz que suas vítimas mereciam morrer, e eu não sou diferente nisso.
Estou me referindo às drosófilas, um mosquitinho maldito. Para quem não sabe qual é, explico: é aquele bem pequenininho que aparece quando temos, por exemplo, bananas muito maduras em casa.
O problema é que podemos jogar as bananas fora, limpar tudo que, de repente, aparece um ando das malditas.
Já aconteceu de viajar de férias, passar um mês fora, tendo o cuidado de não deixar em nenhum lugar qualquer coisa que poderia servir de alimento para as malditas e, na volta, parecia que elas tinham se convencido que não tinham mais o que comer na minha casa.
A alegria durou pouco. Parece que adivinharam que tínhamos voltado. No dia seguinte, estava lá um bando de drosófilas nos rodeando. E picando.
Esse é outro problema: a maldita pica a gente também, incomoda.
Tentamos todo tipo de inseticida, e nada! Parecia até que elas apreciavam o cheiro de inseticida spray.
Resolvi, então, recorrer à internet. No Google haveria de ter a recomendação de alguma forma de acabar com elas.
Mas o que encontrei foi gente amaldiçoando a dita-cuja também, sem saber o que fazer.
Tinha também uns trabalhos de biólogos que usam as drosófilas em não sei que tipo de pesquisas, e ao contrário de dicas para acabar com elas, tinham receitas para criar mais e mais drosófilas.
Pois um dia desses estava caminhando pelo centro da cidade e, numa loja de bugigangas, encontrei uma arma contra todo tipo de mosquito, segundo a propaganda. Era uma raquete parecida com aquelas de tênis, só que com fios eletrificados no meio.
Fiquei em dúvida se funcionaria, mas custava barato, só quinze reais. Arrisquei. Cheguei em casa e foi uma alegria. Dava um prazer sádico ouvir aquele barulhinho de drosófila torrada cada vez que matava uma.
Agora, fico torcendo para que apareça mais alguma. Quando acontece, minha mulher, sabendo do meu sadismo, me mostra e me dá a raquete. Mas as drosófilas estão rareando aqui.
Já estou prevendo que algum dia vou oferecer meus serviços aos vizinhos, como matador de drosófilas, talvez de graça, só pelo prazer.

Fonte: Blog do Mouzar

Nenhum comentário:

Postar um comentário