31 de outubro de 2011

Jonas, o arrependimento dos ninivitas e Jesus Cristo


Por Job. Nascimento


Subsídio Histórico

            Nínive – Essa é a transliteração hebraica do nome assírio Ninus, um dos nomes da deusa Istar. Era uma das residências reais da Assíria. Hoje está localizada no norte do Iraque. A bíblia nos informa que Ninrode fundou Nínive, após ter fundado o mais antigo império babilônico sobre o qual se tem conhecimento. (Gênesis 10.8-10) Alguns historiadores coloca a data de 860 A.C como o ano em que o profeta Jonas evangelizou a cidade. Na época de Jonas, Nínive contava com uma população de cerca de 120.000 habitantes. Como capital do Império Assírio Nínive tornou-se a cidade mais importante do mundo oriental da época. Para termos uma ideia do tamanho e importância da cidade, o palácio de Senaqueribe tinha 9.178 m. Nas paredes do palácio havia relevos retratando as vitórias do Império Assírio, inclusive sobre Israel (Reino do Norte) e a cobrança de tributos a Judá. Nínive tinha 15 portões e cada um dos portões era protegido por um touro gigantesco. Aproximadamente no ano 612 A.C uma foça combinada de medos e babilônios atacou e capturou Nínive, e assim desapareceu para sempre o cruel Império Assírio. Escavações encontraram em Nínive a maior biblioteca de tabletes (representando cerca de 10.000 textos) escritos pertencente ao tempo antigo, entre os escritos estão os épicos bem conhecidos, como aqueles da criação e do dilúvio (Gilgamés), e versões do mesmo.

Introdução

            É cômodo para nós julgarmos a atitude de Jonas por ter fugido e não querer pregar na cidade de Nínive. Mas, se olhar pelo prisma histórico podemos descobrir alguns motivos pelos quais Jonas não queria pregar o arrependimento para aquela cidade. Primeiramente porque os ninivitas era um povo que oprimia o povo de Israel e todos quantos estavam em seu caminho. A Assíria era conhecida como uma nação extremamente violenta e sem compaixão. Seria natural para Jonas celebrar a destruição de Nínive depois de saber que seria destruída e não passaria por sua cabeça pregar para uma cidade pagã o amor de seu Deus; Nínive não poderia ser alvo da compaixão divina, somente os judeus. Mas, Deus mostra através deste texto que seu amor transcende toda e qualquer barreira cultural, étnica, geográfica e também não guarda ressentimentos por agressões pretéritas. É muito cômodo acusarmos Jonas de incompassivo ou negligente para com o ministério. Mas, será que não nos colocamos na mesma situação quando deixamos de comunicar a graça e misericórdia de Deus para nosso próximo porque achamos que ele não merece, não tem solução ou não seria uma boa companhia para nosso “grupo” ou simplesmente não repassamos a graça porque esse alguém nos feriu no passado e deveria ser punido com a condenação divina ou por vergonha.
            Jonas pregou em Nínive e os ninivitas se arrependeram. Poderíamos encerrar assim a história do livro de Jonas, de forma direta e pragmática, não estaríamos faltando com a verdade, mas não entenderíamos as nuances e lições que esse texto nos comunica.

I – Os convites ao arrependimento não foram muitos

-        Nínive não tinha privilégios: estava nas trevas do paganismo;
-        Nínive ouviu apenas um profeta; e não foi dos grandes nem muito afetuoso;
-        Nínive ouviu aquele profeta somente uma vez; e foi um sermão ao ar livre, muito curto e monótono;
-        Nínive não ouviu nenhuma palavra de boas novas; ouviu o trovão da lei, e nada mais;
-        A obediência ao aviso, no entanto, foi imediata, universal, prática e aceitável, de tal modo que a cidade foi poupada.

II – A mensagem do profeta não foi encorajadora

-        Não proclamava nenhuma promessa de perdão;
-        Nem mesmo mencionou o arrependimento e, em consequência, não ofereceu esperança aos penitentes;
-        Predisse ruína esmagadora e final: “Nínive será subvertida”. Sua mensagem começou e terminou ameaçando;
-        Mencionou uma data que se aproximava veloz: “Ainda quarenta dias”.

III – O próprio profeta não os ajudou em sua esperança

-        Jonas não era um pastor amável, terno, ansioso por achar a ovelha perdida;
-        Não gostava do ministério em que estava engajado e, sem dúvida, desincumbia-se dele de modo duro e áspero;
-        Não proferia nenhuma palavra de amor simpático, pois não tinha nenhuma palavra assim, vinda do coração. Era da Escola de Elias, e desconheceu o amor que ardia no coração de Jesus;
-        Não fez nenhuma oração de amoroso compaixão;
-        Ficou triste, quando a cidade foi poupada;

Ilustração:

Ouvidos tapados
            Tenho lido que, durante o reinado de Elizabeth Tudor, foi feita uma lei que obrigava a assistência nas igrejas protestantes. Muitos católicos romanos sinceros não desejavam ir para escutar doutrinas nas quais não criam, mas, temerosos pela perseguição, iam com os ouvidos tampados com algodão. Que tarefa difícil é a de pregar para uma congregação que tem os ouvidos tampados.

Conclusão:

            “Começou Jonas a percorrer a cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida”. (Jonas 3.4)

“Ninivitas se levantarão, no juízo, com esta geração e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui está quem é maior do que Jonas”. (Mateus 12.41)

            No entanto, aquelas pessoas obedeceram à sua voz, e obtiveram misericórdia, por darem ouvidos à sua advertência. Isso não reprova a muitos que têm sido favorecidos com admoestações ternas e amorosas? Certamente que reprovou aqueles que viviam nos dias de nosso Senhor, pois não há duas pessoas que pudessem oferecer contraste mais singular que Jonas e nosso Senhor. Na verdade, alguém “maior”, melhor e mais terno que Jonas estava ali.
            Só Jesus é capaz de salvar perfeitamente todos quantos vêm a Deus, por intermédio dele, humildemente, desejando e esperando misericórdia por amor a ele, para a sua própria alma. E nisso não ficou desapontado. E, de sua própria experiência das riquezas da graça, foi muito útil à conversão e conforto de outros. (Religious and Moral Anecdotes).

2 comentários:

  1. o Senhor e justo e perfeito só ele tem o poder de aperfeiçoar o homem. o Senhor ti abençoe e almente os teus dias Job. Nascimento.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pelo comentário. Continue acompanhando as postagens.

    ResponderExcluir