4 de setembro de 2011

O pastor desnecessário

É obrigação dos pastores manter clara a distinção entre as mentiras do mundo e a verdade do Evangelho. Seu lugar na sociedade é, sob certos aspectos, único: não há quem ocupe outra posição tão ofensiva na aparência e, no fundo, tão perigosa para o status quo. Seu compromisso é manter viva a proclamação do Evangelho e olhar pelas almas, apesar de vivermos em uma era em que as pessoas ou negam a existência da alma ou transformam em assunto banal tudo que se relacione a ela. Mas não é fácil. Há forças poderosas, algumas sutis e outras óbvias, que tentam domar os pastores e levá-los a servir à cultura da forma como é, manipulando-os e pressionando-os a atenderem a expectativas falsas de espiritualidade, sucesso, números e poder, de acordo com os padrões do mundo. Como poderão os pastores ser fortalecidos para resistir a esses falsos alvos e objetivos, para manterem-se íntegros e buscarem a liberdade de serem desnecessários, segundo os critérios do mundo?

Autor: Eugene Peterson e Marva Dawn
Editora: Textus
Páginas: 237

Nenhum comentário:

Postar um comentário