18 de novembro de 2010

Avivamento Urgente

Por Hernandes Dias Lopes

Aguardamos um avivamento que venha aprofundar a piedade, incitar o quebrantamento e levar as igrejas às noites de vigília e ao jejum. Quando o avivamento chegar, os crentes omissos pôr-se-ão a trabalhar; os fracos e trôpegos serão fortalecidos; as famílias esmagadas, reerguidas; as dificuldades serão sanadas e as discórdias eliminadas; pois onde o avivamento chega, medra o amor, acabam as divisões, cessam as brigas, arrancam-se as raízes da amargura, curam-se as feridas e restabelece-se a comunhão.

Aguardamos um avivamento que venha tirar as igrejas da rotina do formalismo frio, para que os crentes sejam mais santos, o culto mais vivo, a liturgia mais agradável a Deus, a pregação mais ungida, a evangelização mais apaixonada, o envolvimento missionário mais urgente, a ação social mais caridosa e a igreja santa.

A busca do avivamento deve ser para nós um caminho sem volta. Não podemos parar. É preciso avançar (...) Não podemos recuar porque alguns se desviaram, caindo em extremismos inconseqüentes. Não podemos desanimar-nos com as oposições.

Não há avivamento sem preço. Não há busca sem oposição. Não há batalha espiritual sem a fúria do inimigo. Não há parto sem dor. Não há colheita jubilosa sem a semeadura regada de légrimas. É preciso coragem para prosseguir. É preciso fé para não voltar atrás.

Precisamos inconformar-nos com o conformismo dos homens, para nos conformar-mos aos inconformismos de Deus. Não podemos chamar de normal o estado apático, letárgico, caótico, estéril e doentio da igreja hoje. O Deus da igreja não é o Deus vivo, que age e faz maravilhas ainda hoje. Ele não pode ser engessado dentro dos nossos estreitos parâmetros e limites.

Não cometamos o grave pecado de resistir ao Espírito Santo. Não podemos lutar contra Deus. Avivamento é obra de Deus (...) resistir ao avivamento é resistir à Palavra de Deus. Resistir ao avivamento  é resistir aos grandes feitos de Deus na História. Ressistir ao avivamento é negar nosso legado e nossa herança, e recalcitrar contra os aguilhões.

É preciso enfatizar, no entanto, que não se recebe avivamento simplesmente falando sobre ele ou fazendo profundas reflexões bíblicas, teológicas e históricas sobre o que Deus fez noutras épocas. O avivamento vem quando a igreja dobra os joelhos em oração, humilha-se diante de Deus e acerta a vida com Deus. Esse, portanto, é nosso desafio: avivamento já!

LOPES, Hernandes Dias. Avivamento Urgente. págs. 20-21. São Paulo: Betânia, 1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário