18 de maio de 2010

Fidel: Fim de uma era

A trajetória de Fidel Castro , por Fábio Marton: Super Interessante.

“A História me absolverá”, disse Fidel Alejandro Castro Ruz em 1953, quando era julgado por planejar um golpe. A segunda tentativa deu certo, e em 1959 Fidel assumiu o poder em Cuba. Começavam então 49 anos de repressão, de um lado, e alta escolaridade, de outro. Mesmo com a renúncia de Fidel ao poder, em fevereiro, ainda é difícil saber se sua frase de 1953 vai se confirmar.

1926 - Filho de fazendeiro Em agosto, nasce Fidel Castro Ruz, em Biran, leste de Cuba. Ele é filho de Angel Castro, soldado espanhol que servira na repressão ao movimento pró-independência (1890-1902), mas que se assentara definitivamente na ilha e acabara se tornando um grande fazendeiro.

1953 - Golpe fracassado Ex-líder estudantil formado em Direito, participa de uma ação contra o ditador Fulgêncio Batista. O ataque ao quartel de Moncada, o segundo maior do país, acaba com 61 guerrilheiros mortos. Fidel sobrevive, mas é levado a tribunal e pega uma pena de 15 anos.

1956 - Guerrilha em cuba Um ano depois de ser libertado por uma anistia geral e de ter se mudado para o México, onde conheceu o argentino Ernesto Che Guevara e fundou o Movimento 26 de Julho, volta a Cuba a bordo do iate Granma, com 82 rebeldes. O governo reage ao desembarque, e os 15 sobreviventes se refugiam na região de Sierra Maestra.

1959 - Entrada triunfal Pressionado pela opinião pública e pela resistência da guerrilha, Fulgêncio Batista renuncia e vai para a República Dominicana. Oito dias depois, Fidel chega à capital, Havana, e assume o posto que só deixaria de vez em 2008. Fevereiro de

1962 - Embargo total Um ano depois da tentativa fracassada de invasão da baía dos Porcos, os Estados Unidos declaram embargo total a Cuba. Ao mesmo tempo, surgem planos, alguns organizados pela CIA, para matar Fidel, que se mostra mais alinhado à União Soviética.

Outubro de 1962 - Crise nuclear Aviões espiões americanos descobrem os mísseis nucleares soviéticos que haviam sido instalados em Cuba no começo do ano. É a Crise dos Mísseis, a mais grave de toda a Guerra Fria. Mas o presidente John Kennedy e o premiê soviético Nikita Kruschev chegam a um acordo, e os mísseis são retirados.

1967 - Guerrilha no mundo Depois de iniciar um movimento para tomar o poder no Congo, Che Guevara é preso e assassinado na Bolívia. Por muitos anos, Cuba financiaria e treinaria guerrilheiros na África e na América Latina, incluindo os brasileiros contrários à ditadura.

1980 - Portas abertas Em abril, Fidel declara que todos os cubanos dispostos a deixar o país estão liberados. Em seis meses, vão embora da ilha cerca de 125 mil cubanos. A medida gera muita controvérsia nos Estados Unidos, que acusam o líder cubano, que depois voltaria a fechar as fronteiras, de aproveitar a brecha para expulsar detentos.

1991 - A volta do turismo Em dezembro, a União Soviética é declarada extinta. Com isso, a economia de Cuba deixa de ganhar, aproximadamente, 5 bilhões de dólares por ano. Em 14 de agosto de 1993, visando favorecer o turismo (e, mesmo sem querer, as remessas dos exilados nos Estados Unidos), o dólar é readmitido.

2008 - Despedida Em agosto de 2006, o presidente havia delegado o controle ao irmão Raúl. Em 19 de fevereiro deste ano, ele renuncia ao poder em definitivo; cinco dias depois, seu irmão é eleito para um mandato de cinco anos. É o fim definitivo de 49 anos de governo Fidel Castro em Cuba.

3 comentários:

  1. Olá, Parabéns pelo blog e pela postagem. Pensar o movimento Revolucionário cubano é fundamental para o avivamento deste sentimentos nos jovens atuais. Já estou seguindo.

    abraços!

    ResponderExcluir